O blog que pretende lutar contra a mais repugnante manifestação de bestialidade humana. Aqui, toureiros, forcados, ganadeiros, sádicos, pedófilos, bombistas suicidas, etc... Não são nada bem vindos. Se tourada é cultura, canibalismo é gastronomia
.posts recentes

. Touradas proibidas na Cat...

. A Tauromaquia e a Extrema...

. Uma questão de cultura - ...

. Viva la muerte

. Dalai Lama considera tour...

. EDUCAÇÃO PARA A MORTE

. Catalunha anti-taurina - ...

. Petição por Setubal anti-...

. Ainda as contradições do ...

. O bloco de Esquerda e as ...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.antitaurino
Sábado, 9 de Junho de 2007
Texto retirado de um manifesto de Lorenzo Pena - Descrição das touradas em Espanha
Antes de entrar na arena , o touro foi submetido no curral - uma horrível masmorra - a horríveis maus tratos e vexames, cortam-lhe os cornos , fazem-no padecer sob o peso de enormes sacos de areia durante horas, etc. No fim dessa tortura prolongada, as patas são lavadas com aguarrás para que não consiga ficar quieto; os olhos são cobertos com vaselina para diminuir a sua deficiente visão. Golpeiam-no com instrumentos pontiagudos e cortantes para obrigar a entrar no redondel. O pobre animal, assustado, trata de fugir. Só vê cores fortes e quentes e tenta escapar, sem saber que é uma vil e canalha armadilha dos torturadores e assassinos para o martirizar e como se tal não chegasse para troçar dele. Começa a lide. Submetem-no a três estocadas. ( Da enciclopédia QUID tirámos esta referência: o touro Almendrito foi submetido a quarenta e três estocadas em 1876. Quando excepcionalmente um touro não está meio morto após a segunda ou terceira estocada, infligem-se estocadas adicionais até que tenha perdido quase toda a sua vitalidade e fique moribundo). A vara , e por disposição "legal", é de aço cortante terminada por um arpão de 10 cm, seguido por uma cruzeta ou várias; a cruzeta é um disco, que frequentemente penetra profundamente no corpo do animal ; o picador com perícia, abre no touro um enorme buraco, que pode ser de quase meio metro, girando com raiva o seu instrumento de tortura, vai perfurando e despedaçando os órgãos internos do animal. A hemorragia assim causada, provoca uma torrente de sangue, que não só cai abundantemente no chão através das feridas externas, como também escorre pela boca. A seguir vêm as bandarilhas, também de aço cortante e afiado (segundo manda o Boletin Oficial del Estado). Algumas bandarilhas têm um arpão de 80 mm (as de castigo, às quais é submetido o pobre touro , quando logrou fugir das estocadas); as outras são um pouco menos largas. As farpas espetadas profundamente pelos bandarilheiros no corpo do touro causam uma dor atroz a cada movimento do animal, porque abanam e torcem-se , continuando até ao último minuto da sua desgraçada vida a rasgar e a aumentar as profundas feridas internas. O número de farpas não tem limite; tantas quantas sejam precisas para deixar o touro meio morto. A espada do matador também nem sempre o mata, antes pelo contrário. Então vem a faena dos picadores que com sucessivos golpes de punhal reduzem os seus últimos sinais viatis até o fazerem morrer ensanguentado, asfixiado, numa agonia lenta que faria estremecer qualquer pessoa misericordiosa. E dos apontamentos de Gilpérez, tirámos este( da mesma fonte, o QUID, nada suspeito de parcialidade anti-tourada ou anti-aristocracia, antes pelo contrário ! ) quando excepcionalmente o touro , pela sua bravura , foi "indultado" ( que palavra ! : "indultado" como se fosse um delinquente e não a vítima! ), tem que ser sacrificado porque está totalmente desfeito internamente. Tal foi o caso do touro Jaquetón, por exemplo. Tais dados não podem deixar ninguém indiferente. Não nos venham com sermões que é preciso abrandar a luta contra a tauromaquia, até que o ser humano tenha uma vida melhor, ou até que haja uma justiça melhor, ou comunismo, ou seja lá o que for. Os trabalhadores não merecem melhor sorte, Espanha não merece melhor sorte, a família não merece melhor sorte, enquanto continuarem a perpetrar ou consentir crueldades sistemáticas desta envergadura, ainda por cima como espectáculo de diversão.E quanto à ganância dos poderosos estes matam dois coelhos com uma só cajadada: embrutecem as pessoas, degradam-nas, afastam-nas dos ideais de bondade consonantes com planos de justiça e de uma sociedade igualitária, generosa e fraternal; e entretanto fazem grandes negócios à custa dos dinheiros públicos.
publicado por antitaurino às 14:59
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Sofia Gonçalves a 15 de Junho de 2007 às 23:06
Isso mesmo, é desta forma que os defensores das touradas não tomam conhecimento e que dizem que é uma luta de igaul para igual. Façam o mesmo aos bailarinos que andam na arena, para verem onde vão parar depois de uma cornada.

Comentar post

.free counter
free hit counter
hit counter
.pesquisar
 
.Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
.links
.relogio
.subscrever feeds
.mais sobre mim