O blog que pretende lutar contra a mais repugnante manifestação de bestialidade humana. Aqui, toureiros, forcados, ganadeiros, sádicos, pedófilos, bombistas suicidas, etc... Não são nada bem vindos. Se tourada é cultura, canibalismo é gastronomia
.posts recentes

. Touradas proibidas na Cat...

. A Tauromaquia e a Extrema...

. Uma questão de cultura - ...

. Viva la muerte

. Dalai Lama considera tour...

. EDUCAÇÃO PARA A MORTE

. Catalunha anti-taurina - ...

. Petição por Setubal anti-...

. Ainda as contradições do ...

. O bloco de Esquerda e as ...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.antitaurino
Terça-feira, 30 de Junho de 2009
Espanha Negra por José Saramago

 

(Por José Saramago. In “O Caderno de Saramago”, 29 de Junho de 2009, http://caderno.josesaramago.org/2009/06/29/espanha-negra/)
 
La España negra é o título de um livro do pintor José Gutiérrez Solana (1886-1945) de leitura às vezes difícil e sempre incómoda, não por razões de estilo ou ineditismos de construção sintáctica, mas pela brutalidade do retrato de Espanha que nele é traçado e que não é outra coisa senão a transposição da sua pintura para a página escrita, uma pintura que foi classificada como lúgubre e “feísta”, na qual fez reflectir a atmosfera da degradação da Espanha rural da época, mostrada em quadros que não recuam diante da expressão do mais atroz, obsceno e cruel que existe nos comportamentos humanos. Influenciado pelo tenebrismo barroco, muito em particular por Valdés Leal, é também evidente a impressão que sobre ele exerceram as pinturas negras de Goya. A Espanha de Gutiérrez Solana é sórdida e grotesca no mais alto grau imaginável, porque isso foi o que encontrou nas chamadas festas populares e nos usos e costumes do seu país.
 
Hoje, Espanha não é assim, tornou-se numa terra desenvolvida e culta, capaz de dar lições ao mundo em muitos aspectos da vida social, objectará o leitor destas linhas. Não nego que poderá ter razão na Castelhana, nas salas do museu do Prado, no bairro de Salamanca ou nas ramblas de Barcelona, mas não faltam por aí lugares onde Gutiérrez Solana, se fosse vivo, poderia colocar o seu cavalete para pintar com as mesmas tintas as mesmissimas pinturas. Refiro-me a essas vilas e cidades onde, por subscrição pública ou com apoio material das câmaras municipais, se adquirem touros à ganaderias para gozo e disfrute da população por ocasião das festas populares. O gozo e o disfrute não consistem em matar o animal e distribuir os bifes pelos mais necessitados. Apesar do desemprego, o povo espanhol alimenta-se bem sem favores desses. O gozo e o disfrute têm outro nome. Coberto de sangue, atravessado de lado e lado por lanças, talvez queimado pelas bandarilhas de fogo que no século XVIII se usaram em Portugal, empurrado para o mar para nele perecer afogado, o touro será torturado até à morte. As criancinhas ao colo das mães batem palmas, os maridos, excitados, apalpam as excitadas esposas e, calhando, alguma que não o seja, o povo é feliz enquanto o touro tenta fugir aos seus verdugos deixando atrás de si regueiros de sangue. É atroz, é cruel, é obsceno. Mas isso que importa se Cristiano Ronaldo vai jogar pelo Real Madrid? Que importa isso num momento em que o mundo inteiro chora a morte de Michael Jackson? Que importa que uma cidade faça da tortura premeditada de um animal indefenso uma festa colectiva que se repetirá, implacável, no ano seguinte? É isto cultura? É isto civilização? Ou será antes barbárie?

publicado por antitaurino às 20:52
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Junho de 2009
UNESCO e as Corridas de Touros

 

 

Entre 22 a 30 de junho, representantes da UNESCO vão reunir-se em Sevilha, Espanha para definir as festas espanholas que se converterão em Patrimônio Cultural da Humanidade. Entre elas, está a corrida de touros, um evento que resulta na morte de animais e muitas vezes de seres humanos.

Escreva um email para a Unesco,  manifestando-se contra esta evidente contradição. Que cultura é esta que quer ensinar e propagar a violência e morte?

 

wh-info@unesco.org, bpi@unesco.org, info@ibocc.org, F.Bandarin@unesco.org

 

Mensagem sugerida

 

"I Manifest my rejection of the approval of the Racing Bulls (Sevilla / Spain) and the Rapa Bestas (Sabucedo / Pamplona) as Cultural Heritage of Humanity. These events promote the culture, a tradition of death, exploitation and violence. Its time to realize that these values are not in accordance with the ethical principles of a world that needs peace. We need culture, one that makes us think, act and achieve positive changes in the world.
The culture and its progress can go together with ethics!
Manifesto meu repúdio a aprovação das  Corridas de Touros (Sevilha / Espanha) e Rapa das Bestas (Sabucedo / Pamplona) como Patrimônio Cultural da Humanidade. Estes eventos promovem a cultura, uma tradição de morte, exploração e violência. É hora de perceber que estes valores não coadunam com os preceitos éticos de um mundo que precisa de paz. Precisamos de cultura, àquela que nos faz pensar, agir e realizar mudanças positivas no mundo.
A cultura e seu avanço podem caminhar unidos à ética!
Atenciosamente,"

 

publicado por antitaurino às 10:26
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 23 de Junho de 2009
Açores contra touradas

 

Por iniciativa do blogue SOS- Costa Norte, foram lançadas duas petições, que transcrevo abaixo:
 
PETIÇÕES
 
Destinatário: Sr. Presidente do Governo Regional dos Açores, Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, Sr. Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande
Petição "NÃO à Tourada na Ribeira Grande"
Foi recentemente divulgado o programa das festas da cidade da Ribeira Grande na ilha de S. Miguel. No programa consta a realização de uma Tourada no dia 27 de Junho. Sendo a tourada um evento criticado por promover a tortura de animais e não tendo qualquer tradição na ilha de S. Miguel, contestamos a realização da mesma e exigimos que apesar de estar programada seja cancelada.

Numa Europa em que se defende cada vez mais os direitos dos animais, consideramos que a intenção de realizar este evento por parte da organização das festas da cidade e da Camara Municipal da Ribeira grande em nada contribui para dignificar os cidadãos deste Concelho. Pelo contrário, serão interpretados como um povo decadente e bárbaro! O Sr. Presidente Ricardo Silva como responsavel máximo por esta autarquia, deverá, num acto de compreensão para com os animais envolvidos, proceder ao cancelamento do evento.
 
http://www.peticao.com.pt/nao-tourada-ribeira-grande
 
Destinatário: Exmo. Sr. Presidente da República, Exmo. Sr. Presidente do Governo Regional dos Açores, Exmo. Sr. Presidente da Assembleia da República, Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores
Touradas Onde Não São Tradição, Não!
Por todo o mundo e nomeadamente na Europa tem crescido o número de pessoas com preocupações com o bem-estar animal, de tal modo que a própria União Europeia já aprovou um conjunto de medidas com vista à sua implementação nos vários estados membros.

Não tendo qualquer tradição fora das ilhas Terceira, e eventualmente, Graciosa e São Jorge, as touradas à corda têm vindo a realizar-se na ilha de São Miguel, com o patrocínio quer de entidades públicas, quer a elas associadas ou apoiadas financeiramente.

Hoje, a tentativa desesperada de introduzir touradas em São Miguel tem como objectivo garantir a sobrevivência de uma indústria que necessita de crescer, e que só sobrevive graças a apoios governamentais e autárquicos, e fazer com que aquelas passem a realizar-se regularmente e se transformem em tradição para que venham a ser legalizadas, no futuro, as corridas picadas e os touros de morte.

Considerando que a riqueza dos Açores está na diversidade da cultura das suas ilhas, não fazendo qualquer sentido touradas em São Miguel como Cavalhadas de São Pedro na Terceira ou donas amélias no Corvo, vimos exigir para que:

1- Não sejam promovidas nem apoiadas, com recurso a dinheiros públicos, quaisquer touradas nos Açores:

2- Seja aprovada legislação que proíba a realização de touradas em ilhas onde as mesmas não são tradição.
 
http://www.peticao.com.pt/touradas-nao

 


publicado por antitaurino às 22:03
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Junho de 2009
Ameaças a Miguel Moutinho

Da parte de aficionados mais calorosos, a "ANIMAL", na pessoa do seu presidente, tem sido alvo de ameaças.

O desespero começa a mover esta gente, cujo calibre pode ser medido pelas atitudes dos apoiantes dos "espectáculo de morte e dor"

Parece-me que o caminho escolhido não será o mais eficaz por parte dos aficionado. Os "maus" revelam-se no seu temperamento.

A "Animal" formalizou hoje uma queixa junto da Polícia Judiciária de Lisboa, contra estes aficionados delinquentes.

Se bem o conheço a "ANIMAL" e os seus apoiantes, não vergaremos perante este "mimos".

publicado por antitaurino às 21:40
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Junho de 2009
Ultima Hora - Michelito -

O aprendiz de assassino, o jovem Michelito de 11 anos foi proibido de actuar esta noite no campo pequeno. 

Foi a Comissão de Protecção de Menores de Lisboa, que inviabilizou a actuação do assassino  toureiro mexicano de apenas 11 anos, ao indeferir o pedido, para a sua actuação.
Muito por força da associação "Animal" e outros (onde com orgulho me incluo) que expôs à comissão de Protecção de menores e à Autoridade para as Condições de Trabalho.a aberração de uma criança de 11 anos actuar numa arena.
Estamos atentos... Muito atentos.... Parabéns à "Animal".
publicado por antitaurino às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Um apelo vindo dos Açores - de José Soares

 

Caros Amigos,
 
Seguindo a estratégia de educar para a aceitação das touradas e para a banalização do sofrimento animal o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, anuncia uma tourada à corda que vai manchar uma tradição única, as Cavalhadas de São Pedro que se realizam no próximo dia 29 de Junho
Está em causa a introdução de touradas numa ilha onde não são tradição e o uso de dinheiros públicos. Assim, apela-se  a que todos enviem mails de protesto, mandando uma cópia para acoresmelhores@gmail.com.
Contacto da Câmara Municipal da Ribeira Grande: geralcmrg@cm-ribeiragrande.pt
 
Contacto da Assembleia Municipal da Ribeira Grande: rosameneses@cm-ribeiragrande.pt
 
José Soares
 
Cavalhadas infantis vão voltar às ruas
Regional | 2009-06-17 18:32
Embora perdido no tempo, reza a história que as Cavalhadas infantis já foram um quadro visto em tempos pelas ruas da freguesia da Ribeira Seca da Ribeira Grande. Por essa razão, a edilidade nortenha e a comissão de festas daquela localidade estão empenhadas em resgatar essa tradição.
Na edição deste ano das festas da cidade (que incluem as festividades em honra de São Pedro) perto de meia centena de crianças, devidamente trajadas e montadas em cavalos de madeira, deverão trazer um colorido diferente às já tradicionais Cavalhadas de São Pedro, no feriado municipal de 29 de Junho.

Ainda no que respeita às festas na Ribeira Seca, outra das novidades prende-se com o número de marchas que irão participar no desfile.
 
Orlando Casanova da comissão de festas diz contar com 13 marchas, sendo que apenas quatro delas vêm de outros concelhos.

De fora, vêm os ingredientes para uma atracção inédita nas festividades da Ribeira Seca: uma tourada  à corda. Toiros, capinhas e até o ganadeiro viajam da Terceira até São Miguel para, segundo a comissão, proporcionar um “entretenimento diferente”. E ainda que esta não seja uma tradição destas festas, a organização mostra-se convicta no potencial deste evento enquanto “chamariz” de público.

Esta quarta-feira, na conferência de imprensa promovida pela Câmara Municipal da Ribeira Grande para divulgar o programa das Festas do Concelho deste ano, ficou-se ainda a saber que o grande atractivo musical deste ano será o  conceituado cantor português João Pedro Pais que irá actuar no dia 4 de Julho no Passeio Atlântico. Ainda no domínio musical, de destacar, por exemplo, o III Concurso de Música Moderna 2009,  e um espectáculo musical a cargo dos vencedores do Concurso Novos Talentos do bar “Ala Bote”.

O programa festivo conta ainda com duas estreias em matéria de entretenimento. Uma delas é a primeira edição do “Ribeira Grande Classic Rally de Regularidade 2009”, que promete reunir o melhor do automobilismo clássico de São Miguel, sendo a outra, a I Mostra Gastronómica e de Artesanato da Ribeira Grande.

Como vem sendo hábito, a sessão solene comemorativa dos 28 anos de cidade, a ter lugar no Teatro Ribeiragrandense no dia 29 de Junho, vai contar com a atribuição de várias medalhas de Mérito Municipal. Este ano, os galardoados são Onésimo Teotónio de Almeida, Armindo Melo Moreira da Silva, Aurélio Botelho Couto, a Associação Agrícola de São Miguel e a Casa do Povo de Rabo de Peixe.

Quanto aos custos, atendendo ao actual período de contracção financeira, o edil diz ter preferido recorrer à “prata da casa”, não entrando “em valores  financeiros exorbitantes que pudessem pôr em causa alguns dos compromissos autarquia. Ricardo Silva adiantou que as festas deverão custar à volta de 100 mil euros.
 
 
publicado por antitaurino às 20:45
link do post | comentar | favorito
|
.free counter
free hit counter
hit counter
.pesquisar
 
.Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
.links
.relogio
.subscrever feeds
.mais sobre mim