O blog que pretende lutar contra a mais repugnante manifestação de bestialidade humana. Aqui, toureiros, forcados, ganadeiros, sádicos, pedófilos, bombistas suicidas, etc... Não são nada bem vindos. Se tourada é cultura, canibalismo é gastronomia
.posts recentes

. Touradas proibidas na Cat...

. A Tauromaquia e a Extrema...

. Uma questão de cultura - ...

. Viva la muerte

. Dalai Lama considera tour...

. EDUCAÇÃO PARA A MORTE

. Catalunha anti-taurina - ...

. Petição por Setubal anti-...

. Ainda as contradições do ...

. O bloco de Esquerda e as ...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.antitaurino
Sábado, 25 de Julho de 2009
Costitx, primeiro municipio das Ilhas Baleares que se declara 'antitaurino'

 

 
Costitx converteu-se a 22/07/2009 no  primeiro município das ilhas Baleares em 'antitaurino',
 
Parabéns! E a mancha verde adensa-se em Espanha
 
ver mais pormenores em:
 
http://www.elmundo.es/elmundo/2009/07/22/baleares/1248271482.html
publicado por antitaurino às 11:50
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 5 de Julho de 2009
in http://www.eternoretorno.com/2009/04/25/touradas-o-touro-e-o-toureiro/

A multidão amontoava-se aos gritos em uma monumental arquibancada circular. No centro desfilava aquilo que lhes davam o prazer de enlouquecer através de gritos de “olé” em mil urras. Dois personagens rodeados por milhares de insanos homens e mulheres: um sem desejar estar lá de nada podia fazer senão contracenar com o outro que deliberadamente pisava com suas botas de couro na areia do inferno.

Um deles chegava a quase uma tonelada, esbaforindo e de chifres exuberantes e pontiagudos, corpo negro como as trevas e cascos como o do diabo. O outro um frágil verme que se equilibrava sobre dois pés, ocultava sua pele fina e frágil como manteiga por debaixo de sedas adornadas em filigranas. O touro, de um lado, exibia uma inaudita potência em nome de sua própria vida; e um insano depreciador da vida, de outro lado, exibia seu câncer em nome da sua consciência de infindáveis idéias. O touro não carregava nada além de sua própria vida, o insano carregava suas bandarilhas e um pedaço de tecido vermelho.

No confronto o animal foi ferido, esgotado através de vários olés, esbaforido, sangrando e suando, ainda defendia com todo o seu sangue e força a sua sobrevivência: lutava pela vida diante de um covarde que lutava pela morte. Seu corpo de puro músculo e potência já se mostrava em derrocada com o acúmulo de lanças que o lancinavam profundamente.

Um gesto faz explodir a platéia em um vulcão de vozes que derramava em círculo: o insano retira sua espada, dará o golpe mortal. Agonizante, o touro se prepara com suas últimas forças, um gesto em busca de vida. Silêncio ensurdecedor. Touro e insano irão para o último confronto. Uma fagulha de tempo e lá estava o sangue derramado marcando a areia. As vísceras rompiam e perdiam-se em pedaços. Incontáveis olhos assistiam aquela cena.

O insano fora atravessado pelo chifre do touro que agora brilhava sua ponta lustrada com a gordura de um verme. O touro resistia bravamente seu corpo vincado por oito pontas que faziam escorrer a sua vida através de um líquido negro-escarlate. Mas antes esvaziava pela arena as míseras entranhas daquele que foi rasgado como seda por um único golpe: aquele que até então se equilibrava sobre dois pés, exibindo bravura e coragem, galanteios e luxo, virilidade e sedução a toda uma platéia de imbecis, já não passava de uma porção de músculos inertes, vísceras, ossos e tegumentos que iam escorrendo enquanto desfilava em um rabecão preparado pelo diabo: eis que finalmente o touro tomba, ainda respirando languidamente seus últimos minutos de vida.

Uma nuvem de silêncio vinha à tona nos milhares de insanos da platéia, a covardia e a fraqueza foram retratadas em mais uma de suas variadas formas, todas pintadas por depreciadores da vida que andam sobre dois pés.

Nota: a covardia dos toureiros chega a tal ponto que o animal tem os cornos embolados, desse modo fica praticamente raro ocorrer o retratado nesse conto; os sacrifícios ficam sempre aos touros, e o toureiro quando muito é ferido por choques ou pisoteamentos, raramente fatais. O que está posto é um toureiro que tem toda proteção possível diante de um touro totalmente desprovido de proteção e dignidade, não se trata de uma disputa entre toureiro-touro, mas sim um ritual onde o prazer está no sacrifício lento do animal enquanto o dinheiro é movimentado rapidamente e em cifras vultuosas. Não foi o pretendido nesse texto de ficção, porém com elementos da realidade, dizer que os toureiros devem morrer da forma aqui retratada. O ideal, certamente, era que esse tipo de prática não existisse. Todavia, as touradas persistem, sendo países como Espanha, Portugal, França e México os que historicamente comportam esses rituais de barbárie da civilização, inclusive com apoios de políticos.

publicado por antitaurino às 10:33
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Julho de 2009
Touradas à Corda - A imbecilidade transformada em espectáculo

 

Quem pense que as largadas de touros e, em particular, as touradas à corda (estas últimas tristemente vulgares nos Açores) são apenas uma “brincadeira” e são livres de sofrimento para os animais, deve, necessariamente, ver este vídeo: http://www.malhanga.com/videosflash/">http://www.malhanga.com/videosflash/.
 
Como é possível ver estas imagens e pensar que, nestes eventos vergonhosos e primários, estes pobres animais (e não só touros, como se pode ver no vídeo) não sofrem, não estão absolutamente aterrorizados, não ficam lesionados? Como se pode pensar que isto é aceitável? E que gente é esta que participa nesta barbaridade? Mesmo quem pense que estas pessoas, que acabam por ser feridas nestes eventos, não merecem dó porque estão lá só porque querem, tem necessariamente que pensar que o Estado não pode permitir eventos desta natureza e situações deste tipo, não só porque tal constitui uma tremenda crueldade e injustiça para com os animais, que dali fugiriam se pudessem, mas também porque, ainda que haja gente que queira participar em eventos desta natureza e desta perigosidade, o Estado deve ter um papel de pedagogia e profilaxia moral e social proibindo esta brutalidade, em nome da dignidade de todos os animais nesta envolvidos – dos não-humanos e dos humanos.
 
Por favor, leiam esta mensagem e, se concordarem com ela e quiserem, por favor divulguem-na. E, se até aqui pensavam que as largadas de touros e as touradas à corda seriam “menos más” ou aceitáveis, por favor repense-o.
Por miguel Moutinho - Associação Animal
publicado por antitaurino às 21:42
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Petição na Ribeira Grande - Açores

 

Ex.mo Senhor Presidente da Assembleia Municipal da Ribeira Grande


Pedimos a Vossas Excelências que tornem a Ribeira Grande uma cidade pioneira, na Região, na condenação e rejeição do sofrimento gratuito imposto aos animais em touradas e espectáculos.

Seguindo o exemplo de outras cidades de Portugal, iniciado pelo socialista Defensor Moura, autarca de Viana do Castelo, a Ribeira Grande ao tornar-se a primeira cidade açoriana a promover o respeito pelos Animais e condenar a violência gratuita contra os mesmos, estabelecerá um exemplo para a Região e País, que será certamente louvado e acarinhado pela população local, regional, nacional e internacional.

A Ribeira Grande, ao declarar-se oficialmente uma cidade anti-tourada e anti-espectáculos com animais estará grandiosamente a contribuir para que se ponha em prática a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, tantas vezes violada.

Uma cidade livre de sofrimento injustificado, respeitadora dos animais, sem violência gratuita, é sem dúvida uma cidade mais saudável.

Deste modo, pedimos a Vossas Excelências que tornem a Ribeira Grande uma cidade digna, adquirindo o estatuto de anti-tourada e anti-espectáculos com animais.

Uma cidade digna que não promova a crueldade, a violência, livre de sofrimento sem violações à Declaração Universal dos Direitos dos Animais.

Um cidade digna que respeita os animais e condena os actos de violência contra os mesmos, empenhada no progresso civilizacional.
 
http://www.peticao.com.pt/direitos-animais-ribeira-grande
publicado por antitaurino às 21:39
link do post | comentar | favorito
|
.free counter
free hit counter
hit counter
.pesquisar
 
.Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
.links
.relogio
.subscrever feeds
.mais sobre mim