O blog que pretende lutar contra a mais repugnante manifestação de bestialidade humana. Aqui, toureiros, forcados, ganadeiros, sádicos, pedófilos, bombistas suicidas, etc... Não são nada bem vindos. Se tourada é cultura, canibalismo é gastronomia
.posts recentes

. Touradas proibidas na Cat...

. A Tauromaquia e a Extrema...

. Uma questão de cultura - ...

. Viva la muerte

. Dalai Lama considera tour...

. EDUCAÇÃO PARA A MORTE

. Catalunha anti-taurina - ...

. Petição por Setubal anti-...

. Ainda as contradições do ...

. O bloco de Esquerda e as ...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Junho 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.antitaurino
Domingo, 20 de Janeiro de 2008
Volta Emídio Rangel, estás perdoado !!

Não posso deixar de transcrever um excerto de um texto posto na Rede pela "Animal", que retrata de forma exemplar, a forma absurda como ultimamente a SIC em particular, e as restantes estações em geral, primam por ser um bastião dos "adoradores da tortura animal". "longe vão os tempos de Emídio Rangel" diz bem o texto que se segue...

 

Na rubrica “Perdidos e Achados” do “Jornal de Noite” do Sábado passado, a SIC retomou o tema “Barrancos e as Touradas”, para rever a sucessão de acontecimentos desde que o chamado “caso Barrancos” começou até aos dias de hoje. Nessa reportagem, que deveria ter sido o mais imparcial possível, além de ter sido dado 80% a 90% do tempo aos barranquenhos e apenas 10% a 20% do tempo aos defensores dos direitos dos animais, a reportagem foi mais longe, transmitindo, implicitamente, a mensagem de que o povo de Barrancos, de forma supostamente heróica, violou a lei e ameaçou as autoridades repetidamente até que o Presidente da República, o Governo e o Parlamento vieram, em 2002, legalizar as touradas de morte, mostrando que o crime compensa. A mesma reportagem transmitiu a ideia de que o povo de Barrancos teria saído vitorioso de uma disputa política com os defensores dos direitos dos animais, que teriam fracassado, infere-se da mesma reportagem televisiva. Na verdade, esse mesmo povo, embriagado pelo seu afastamento do progresso e pela ignorância dele decorrente, saiu perdedor dessa contenda moral, pois colocou-se do lado do primitivismo, para defender o seu direito a perseguir, torturar e matar 5 a 6 animais inocentes por ano, fazendo-o em público, sob a forma de espectáculo, ligando-se, assim, cada vez mais, com o seu lado ostensivamente primário e sanguinário, que o Estado ajudou a cultivar, através de um exercício público de cobardia política, ao dar àquele povo o direito de se manter inculto, ignorante e, pior do que tudo, viciado no mórbido gosto de violentar e de retirar prazer de assistir a essa violência. Portugal perdeu também, nesse episódio, mas quem perdeu realmente foram, como sempre, os animais. Os defensores dos animais não perderam, claro está, porque nem são eles que são torturados e violentados nas touradas de Barrancos como também não são eles que ficam reféns da ignorância e do subdesenvolvimento que presidiram a todo aquele escândalo. Os defensores dos animais souberam, então, como sabem hoje, que a luta cívica e política pelos direitos dos animais é uma dura luta pelos direitos fundamentais de indivíduos que não se podem representar a si mesmos, uma luta que se faz contra os maus hábitos dos povos, contra o obscurantismo, contra a rudeza e o gosto pelo sangue e pelo sofrimento, contra o provincianismo bacoco e contra a tendência para a rejeição do, e reacção ao, progresso e ao apuramento ético das sociedades humanas. Infelizmente, a reportagem da SIC documentou e transmitiu o contrário disto, permitindo que se pense, depois daquela reportagem, que Barrancos ganhou e que aquilo que ganhou terá valido a pena. Não foi sequer aflorada a hipótese daquelas pessoas, que tão realizadas se declararam por nada mais terem conseguido do que a permissão legislativa para torturarem e matarem animais, não terem a informação e o distanciamento suficientes para compreenderem tudo o que de mal defendem, praticam e ambicionam poder manter, contra tudo e contra todos. Mais lamentável é notar que a SIC, com esta reportagem, ajudou os barranquenhos a afundarem-se ainda mais em todo este triste enredo, glorificando-o, ironicamente.

publicado por antitaurino às 21:06
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Brama a 3 de Fevereiro de 2008 às 21:36
Este texto está excelente e apesar de já sabermos que nada resolve, já que estamos tomados por uma horda de gentinha ordinária, inculta, insensível, primitiva, sanguinária e criminosa, deveria ser enviado para algumas entidades incompetentes que, evidentemente não responderão. De qualquer forma, uma reportaem ou um qualqur debate de ideias deveria, eticamente, dar as mesmas possibilidades e oportunidades às partes em oposição expressarem as suas ideias. Isso é inaceitável: uma coisa eu sei, se estivesse presente nesse debate e me visse privado de expressar a minha posição, das duas uma, ou deixava isso bem vincado para os mais distraídos se darem conta em casa da injusta divisão de tempos ali em evidência ou então, visto a minha presença ser desnecessária, levantava-me e retirava-me. E seria o mais certo, até porque estas coisas dos direitos dos animais mexem comigo de uma forma também "primária" e não estaria disposto a não dar resposta a essa gente estúpida, ignorante, soberba e desumana
De antitaurino a 3 de Fevereiro de 2008 às 21:42
Caro Brama, não poderia estar mais de acordo contigo... Abraços

Comentar post

.free counter
free hit counter
hit counter
.pesquisar
 
.Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
.links
.relogio
.subscrever feeds
.mais sobre mim